Piratas na Cultura Pop

Nesta seção, apresentarei a figura dos piratas retratadas em diversas mídias na cultura popular. Como estão os piratas na literatura, no cinema, na televisão, nos games, no teatro e na música.


Peter Pan

Para começar quero falar sobre um clássico infantil que encanta gerações e, talvez, uma das primeiras histórias de piratas com as quais tive contato. Trata-se do famoso Peter Pan, idealizado como peça de teatro, transformado em livro, e adaptado em desenhos animados, filmes e séries.
Peter Pan – A obra

Peter Pan é um personagem criado por J. M. Barrie para sua notória peça de teatro intitulada Peter and Wendy, que originou um livro homônimo para crianças, publicado em 1911, e de várias adaptações destes para o cinema. O personagem é um pequeno rapaz que se recusa a crescer e que passa a vida a ter aventuras mágicas.
 


James Matthew Barrie, mais conhecido simplesmente como J. M. Barrie, inventou Peter Pan quando contava histórias aos filhos da sua amiga Sylvia Llewelyn Davies, os Llewelyn Davies boys, com quem mantinha uma relação de amizade muito especial.
 

O nome provém de duas fontes: Peter Llewelyn Davies, o mais novo dos rapazes naquela época e de Pan, o deus grego das florestas. Poucos anos após a morte de seu marido, Sylvia Davies morreu de câncer e Barrie foi nomeado co-tutor dos garotos, sem adotá-los oficialmente.
 

Há também quem sugira que a inspiração para o nome tenha sido o irmão mais velho de Barrie, David, que morreu acidentalmente patinando no gelo, quando tinha apenas 13 anos, o que afetou profundamente a mãe deles. De acordo com Andrew Birkin, autor do livro J. M. Barrie and the Lost Boys, foi "uma catástrofe inacreditável da qual ela nunca se recompôs. Margaret Ogilvy retirou conforto da noção que tendo David morrido tão jovem, permaneceria um rapaz para sempre. Barrie buscou nessa ideia a inspiração".

Peter Pan apareceu pela primeira vez ao mundo em 1902 num livro intitulado The Little White Bird, uma versão ficcionada da relação de Barrie com as crianças de Sylvia Davies e que foi adaptada ao teatro numa peça chamada Peter Pan, or The Boy Who Wouldn’t Grow que estreou no Duke of York’s Theatre, em Londres, no dia 27 de dezembro de 1904. 

Barrie, constantemente a alterava a história, acrescentando ou mudando detalhes do roteiro. Como por exemplo a inclusão do Pó de Fada, que foi adicionado por razões de saúde e segurança. Ao princípio Peter e os Meninos Perdidos eram capazes de voar sem qualquer magia, mas depois o autor acrescentou o Pó de Fada como ingrediente essencial para se voar, pois muitas crianças saltavam de lugares altos na esperança de flutuarem no ar e ferindo-se gravemente.

Um dos fatos curiosos sobre a peça é que Peter Pan foi sempre interpretado por uma garota enquanto J.M. Barrie estava vivo. A tradição mantém-se ao nível das adaptações teatrais, e mantém-se também a tradição de ter o mesmo ator interpretando o papel de Mr. Darling e do Capitão Gancho.

Em 1906, a parte do livro The Little White Bird que fala de Peter Pan foi republicada com o título Peter Pan in Kensington Gardens, com ilustrações de Arthur Rackam. Em 1911, Barrie fez outra adaptação que chamou de Peter and Wendy, mas que normalmente é chamada simplesmente de Peter Pan.


O filme “Em Busca da Terra do Nunca” (2004), com Johnny Depp, retrata essa história sobre como a peça "Peter Pan" foi criada, mostrando as relações entre James M. Barrie e os garotos Davies, desde o início até a realização da peça.



Em 1929, Barrie deu um presente extraordinário para a sua instituição da caridade favorita. Doou todos os direitos autorais de Peter Pan para o Great Ormond Street Hospital , um hospital londrino para crianças. Isso significava que, sempre que alguém encenasse uma produção da peça ou comprasse um exemplar de Peter Pan and Wendy, o hospital ficaria mais rico, em vez de Barrie. Ao longo dos anos, verificou-se que o presente fora mais valioso do que ele jamais poderia imaginar.

Capitão Gancho e os Piratas

Os vilões da história de Peter Pan são os piratas da Terra do Nunca, e o mair inimigo de Peter é o próprio Capitão Gancho (originalmente James Hook).

Capitão James Gancho (originalmente James Hook) é um dos mais conhecidos vilões da literatura e cinema. Gancho é um notório capitão pirata que comanda um navio chamado "Jolly Roger", ancorado em uma baía da Terra do Nunca. Possui a mão substituída por um gancho, após ter sido decepada propositadamente por seu arqui-inimigo Peter Pan e comida por um grande crocodilo-de-água-salgada. O crocodilo apreciou tanto o sabor da mão do capitão, que começou a persegui-lo para devorar o que lhe restou do corpo desde então. Por sorte, o crocodilo engoliu um relógio, e sempre que o animal se aproxima, o 'tic tac' alerta Gancho e o previne de ser devorado.

Seu imediato é Starkey e não Smee, como atribuído por muitos popularmente. Smee é apenas o seu homem de confiança, porém não era seu melhor amigo, pois Gancho é desprovido de amigos. Smee ocupa o cargo de boatswain (ou bosun), termo que não possui tradução específica para o português pelo fato de ser originário da marinha britânica, e se refere aos oficiais que lideram oficiais ou marinheiros não comissionados em um navio. "Bosuns" também se distinguem por serem extremamente conhecedores de conserto de navios e liderarem a divisão dos homens permitidos ao seu posto nas batalhas.

É mencionado que o Capitão Gancho era o único homem temido por Long John Silver (o terrível pirata do livro de Robert L. Stevenson, A Ilha do Tesouro). E também foi o "bosun" do próprio Barba Negra.

Ele detesta Peter Pan obsessivamente, como também aos Meninos Perdidos, e está disposto a persegui-los a vida inteira na esperança de vê-los andar na prancha e matar Peter Pan.

Há muitas adaptações das características do personagem, desde sua personalidade à sua aparência física, adaptações estas que costumam cair em contradição com as atribuições dadas pelo autor do livro original. Nunca houve uma adaptação literária de Peter and Wendy que retratasse os piratas ou outros personagens da Terra do Nunca como sendo plenamente provenientes das suas épocas efetivas.

Gancho possui uma natureza ao mesmo tempo impiedosa e maligna, mas certos sentimentos, principalmente quando se trata de Wendy, e como muitas vezes descrito no livro de J. M. Barrie, é arrependido de maltratar tanto os Meninos Perdidos. No entanto, nos momentos em que ele se mostra mais cortês, parece ainda mais medonho. Gancho tem uma essência sombria, deprimida, e quando se encontra mais triste são nos momentos em que conversa sozinho (principalmente quando se refere a si mesmo na terceira pessoa), resultado de ser um homem muito solitário, ou ao estar junto à tripulação observando os humildes homens conversando entre si enquanto ele não se interage, mesmo possuindo uma mente brilhante e grande conhecimento para transmitir. Entretanto, é citado que esta característica foi adquirida em sua escola, o Colégio de Eton, pelo fato dos mais cultos (geralmente os alunos mais velhos) não se misturarem com os de conhecimento mais rudimentar, sendo estes a classe dos alunos mais jovens ou os atrasados, automaticamente excluídos. Embora ele se comporte dessa maneira, na realidade isso não se deve ao fato de sentir medo em se socializar, mas apenas de optar por não fazê-lo. 

Surpreendentemente, ele é deprimido pelo fato das crianças não gostarem dele, e não gosta de si mesmo por essa razão. Outro motivo, é quando ele repara nas suas tendências narcisistas, atribuindo então que fosse melhor talvez nem ter nascido. As únicas vezes em que se sente feliz é quando ele enterra seu gancho nas tripas de alguém, testemunhando o enrubescimento de seus atraentes olhos azuis na sequência. Apesar de sua evidente maldade, ele possui um lado sensível e gosta de flores, principalmente rosas, aprecia música suave, toca cravo, flauta, gosta de Shakespeare e de poemas (especificamente aqueles escritos pelo estilo incomum dos Lake Poets), sendo também um ótimo contador de histórias. Em política ele é um conservador. Costuma fumar charuto com uma espécie de objeto que possui um segurador duplo especial, de forma que ele pudesse fumar dois deles ao mesmo tempo.




O Capitão, afinal, não é só interessado em matar Peter Pan para tomar posse da Terra do Nunca, e por maior que seja o ódio por sua mão ter sido amputada, se orgulha pelo fato de ter sido substituída por seu gancho (no livro de James Barrie, há um momento no qual ele brinca com sua tripulação ao afirmar que, se tivesse filhos, queria que eles tivessem ganchos em suas mãos). Seu ódio por Peter Pan é anterior ao incidente e justificado pelo fato de Peter ser muito convencido.

Gancho é obcecado por "bons modos", de certa forma, para esconder o fúnebre interior consequente. Gancho tinha ciúmes de Smee, pois as crianças o apreciavam incondicionalmente por mais que lhes fizesse mal (graças à sua lealdade a ele), e se perguntava se seu "bosun" possuía esse dom dos "modos" no interior. Já pensou até em matá-lo por isso, mas isso era indispensavelmente fora das regras de etiqueta.

Gancho é um homem corajoso, disposto quase sempre a cravar uma luta justa entre seus inimigos e, principalmente, não tem medo de enfrentar os perigos que se encontram a sua frente. A única coisa que ele teme é o crocodilo que o persegue na Terra do Nunca, e uma vez na sua vida que se encontrou ferido e seu sangue estava com uma cor fora do comum, incluindo o fato de possuir certa fobia em relação a água (ele era sempre o último a deixar o navio).

Gancho não aparecia tão cedo na peça de teatro, com o caprichoso e coercivo Peter Pan encontrado da maneira mais próxima como um "vilão" nela. Ele foi criado para aparecer na cena inicial atuando na frente da cortina enquanto o cenário da Terra do Nunca era trocado para enfermaria da casa da família Darling, descrevendo a jornada das crianças para casa. Barrie expandiu a cena enquanto desenvolvia a peça.

O personagem inicialmente seria interpretado por uma mulher, Dorothea Baird, que era também atriz de cinema. A atriz já fazia a figura da mãe, Mary Darling. Gerald du Maurier (que substituiu Seymour Hicks, pois ela recusara a fazer o papel), pai de Sylvia Llewelyn Davies (a mãe das crianças que inspiraram Barrie a criar a história de Peter Pan), que fazia o papel de George Darling, persuadiu Barrie a deixá-lo fazer o papel adicional no lugar de Dorothea. Uma decisão de elenco que até hoje é aplicada em vários filmes e peças de teatro adaptadas sobre a história de Peter Pan.

No livro de James Barrie, Gancho é descrito como cadavérico, lúgubre, com cabelo preto cacheado feito velas negras a distância, de olhos azuis inesquecíveis e depressivos. Possui um gancho no lugar da mão direita, que é frequentemente substituído no lugar da mão esquerda, como no filme de Steven Spielberg, Hook, cujo ator que o interpreta (Dustin Hoffman) prefere trocar pois ele é destro e dificultaria a manusear os objetos durante o filme. Também, nesse mesmo filme, o cabelo de Gancho é simplesmente uma peruca. No filme de animação da Disney de 1953, a justificativa que eles dão a cerca da substituição da mão que apresenta o gancho no lugar é de que seria mais fácil de representar os movimentos do personagem quando ele fosse ser desenhado. E também, na parte em que Gancho captura Sininho podemos notar que ele possui olhos verdes, mas isso é pelo fato de sua aparência ter sido baseada na do desenhista que o criou.



Ele costuma usar um grande chapéu com penas, calças até os joelhos, um casaco vermelho, possui certo ar de elegância e tem uma adorável dicção. Isso contrasta a descrição de Barrie na novela: "De certa forma ele é vestido com as vestimentas associadas com o nome de Carlos II". Mais tarde, Barrie também o descreveu como "Em uma palavra, o homem mais bonito que eu já vi, porém, ao mesmo tempo, talvez um pouco nojento" (J.M. Barrie no seu discurso "Capitão Gancho em Eton", em Mconnachie & JMB Speeches By J.M. Barrie).

Carrega consigo um terrível veneno, "...misturado por ele de todas as alianças mortais que já possuiu. Este ele fervera em um líquido amarelo desconhecido pela ciência, e era provavelmente a mistura mais venenosa da existência." como afirma Barrie. Nota-se também que na versão do filme de Peter Pan de 2003 (com Jason Isaacs e Jeremy Sumpter) que a cor do veneno é modificada. Eles adaptam a descrição, afirmando que o veneno "vermelho" vinha de suas lágrimas quando seus olhos ficavam rubros, "...uma mistura de malícia, ciúme e decepção". No livro de James Van Hart, Capt. Hook - The Adventures Of A Notorious Youth, o sangue de Gancho é descrito como sendo amarelo, da mesma forma que Barrie cita em "Capitão Gancho em Eton". O que se interpreta dessa observação é que se tende a relacionar o veneno que Gancho traz consigo com algo que vem dele próprio, que tenha a ver com dor ou sofrimento.

O personagem tradicionalmente é interpretado pelo mesmo ator que faz o papel do pai das crianças. Isto é baseado na crença de que "Todos os adultos são piratas".

Exatamente como Gancho foi parar na Terra do Nunca, como ele veio a se tornar um maldoso pirata e como se tornou o Capitão do Jolly Roger, nunca foi explicado por Barrie. Alguns acreditam simplesmente que Gancho é só o equivalente ao pai de Wendy. Outros sugestionam que Gancho era, de fato, Rei Carlos II da Inglaterra, "De certa forma ele é vestido com as vestimentas associadas com o nome de Carlos II, tendo ouvido em algum período do começo de sua carreira que ele possuía estranha semelhança com os malfadados Stuarts". Devemos também lembrar que os piratas se referiam a ele como Capitão "Gancho", antes de tê-lo substituindo a sua mão.

Cinema e Televisão

No cinema e na televisão, Peter Pan já teve diversas adaptações.


Peter Pan (1924)
Peter Pan (1924) é um filme mudo de fantasia estadunidense realizado por Herbert Brenon, Paramount Pictures. Esta foi a primeira adaptação cinematográfica da obra homônima de James Matthew Barrie, lançada pela Paramount Pictures. O filme foi estrelado por Betty Bronson como Peter Pan, Ernest Torrence como Capitão Gancho, Mary Brian como Wendy Darling e Virginia Brown Faire como Sininho. Anna May Wong, uma atriz pioneira sino-americana, atuou como a princesa índia Tiger Lily


Peter Pan (1953)
Peter Pan (1953), é um filme de animação estadunidense produzido pela Disney em 1953 e baseado na peça teatral Peter and Wendy. É o décimo quarto longa-metragem de animação dos estúdios Disney e foi lançado nos cinemas dos EUA em 5 de fevereiro de 1953. O filme foi dirigido por Clyde Geronimi, Wilfred Jackson e Hamilton Luske e produzido por Walt Disney. Peter Pan é o último filme animado lançado pela RKO antes da fundação da distribuidora própria da Disney, a Buena Vista Distribution em 1953.
Essa é a adaptação mais conhecida de Peter and Wendy. Ganhou uma sequência em 2002, chamada “De volta a Terra do Nunca” (Return to Never Land), e uma prequela, Tinker Bell em 2008. 



Hook – A volta do Capitão gancho (1991)
Hook (no Brasil: Hook - A Volta do Capitão Gancho) é um filme estadunidense dirigido por Steven Spielberg e escrito por James V. Hart e Malia Scotch Marmo. É estrelado por Robin Williams como Peter Pan/Peter Banning, Dustin Hoffman como o personagem-título de Capitão Gancho, Julia Roberts como a fada Sininho, Bob Hoskins como Smith/Barrica (Smee), Maggie Smith como Avó Wendy, Caroline Goodall como Moira Banning, e Charlie Korsmo como Jack Banning. O filme funciona como uma sequência do romance de J. M. Barrie de 1911, Peter and Wendy, com foco em um Peter Pan adulto que se esqueceu de sua infância. Agora conhecido como "Peter Banning", ele é um advogado de sucesso empresarial com uma esposa e dois filhos. Gancho sequestra seus filhos, e Peter deve voltar a Terra do Nunca e recuperar o seu espírito jovem, a fim de desafiar o seu velho inimigo.
Essa é a adaptação que mais assisti e que mais gosto. O filme deu origem a um jogo de video-game com o mesmo nome para os consoles Mega Drive e Super Nintendo.



Peter Pan (2003)

Essa versão, lançada em 2003 é bastante parecida com a animação da Disney, e talvez a mais próxima da obra original de Barry, Peter and Wendy. É um filme britânico/australiano de 2003, dirigido por P. J. Hogan. Foi lançado pela Columbia Pictures. O filme chegou aos cinemas norte-americanos em novembro de 2003 e, no Brasil, em fevereiro de 2004.


Terra do Nunca – A origem (2011)

Terra do Nunca - A origem (Neverland no original) é uma minissérie que foi ao ar na rede Syfy (Estados Unidos) em 4 de dezembro e 5 de 2011, e Sky Movies (Reino Unido), em 9 e 16 de dezembro, escrito e dirigido por Nick Willing. É uma prequela e re-imaginação da história de Peter Pan.

Peter Pan (2015)

Peter Pan (Pan no original) é a mais recente adaptação da obra Peter e Wendy. Um filme estadunidense de 2015, dirigidopor Joe Wright e produzido por Greg Berlanti, Sarah Schechter e Paul Webster. Com os atores Hugh Jackman, Garrett Hedlund, Rooney Mara, Amanda Seyfried, e Levi Miller, que faz o papel do menino Peter Pan.
O filme conta a história de como e quando Peter Pan, um órfão que ainda não tinha esse nome virou o menino que não cresce e chegou a Terra do Nunca. Nesta aventura, ele encontrará muita diversão, perigo e descobrirá seu destino de se tornar um herói com nome de Peter Pan, junto ao Capitão Gancho e a Tigrinha.
Me lembrou um pouco a ideia de "Terra do Nunca - A origem."


Anime e desenhos animados na TV

As Aventuras de Peter Pan (1989)

Série de anime produzida pela Nippon Animation, e dirigida por Takashi Nakamura e Yoshio Kuroda, foi ao ar primeiramente na Fuji Television entre 8 de janeiro de 1989 até 24 de dezembro de 1989. É uma adaptação do romance clássico Peter Pan de James Matthew Barrie, e teve um total de 41 episódios.
No Brasil a série foi exibida no canal Rede Globo em 1991.


Peter Pan e os Piratas (1990)

Peter Pan e os Piratas foi um desenho animado da década de 1990, baseado na obra de J. M. Barrie, Peter Pan. Originalmente, foi exibido nos EUA de 8 de setembro de 1990 à 2 de dezembro de 1991 pelo canal Fox Kids. No Brasil foi exibido pela Rede Globo em seus programas infantis matinais em 1992.
Algumas das características da série distinguem das demais baseadas em Peter Pan, como o fato do desenho focar também os piratas em suas histórias, não se baseando apenas em Peter. Os "Meninos Perdidos" (The Lost Boys no original) também tiveram alguns capítulos como protagonistas. Peter Pan tem um visual diferente de outras obras, usando roupa marrom e cabelo comprido amarrado. Na versão original, Jason Marsden deu voz a Peter e Tim Curry ao Capitão Gancho, sendo o segundo vencedor de um Emmy pela dublagem de seu personagem.
Para que a série não fosse confundida com a versão da Disney, foi rebatizada alguns anos mais tarde para Fox´s Peter Pan and the Pirates.


Jake e os Piratas da Terra do Nunca (2011)

Jake e os Piratas da Terra do Nunca é a primeira série de animação da Disney Junior baseado na franquia de sucesso da Disney, Peter Pan. A série centra-se em um grupo de jovens piratas que consistem em Jake, Izzy, Cubby e seu papagaio Skully, que passam continuamente seus dias competindo contra o Capitão Gancho e Sr. Smee para o tesouro. Eles são frequentemente acompanhadas por vários personagens, incluindo o navio vida de pirata, Bucky, e sua amiga sereia, Marina. Foi exibido a partir de 31 de agosto de 2015, as segundas-feiras dentro do Mundo Disney no SBT.

As Novas Aventuras de Peter Pan (2012)

As Novas Aventuras de Peter Pan é uma série de desenho animado em CGI franco-indiana baseada no clássico conto do personagem Peter Pan. Estreou originalmente em 2012 no canal francês France 3. No Brasil ela é exibida no canal infantil Gloob desde novembro de 2013, originalmente tendo sido programada para estrear em outubro.
A história se passa após a amizade de Peter Pan com Wendy Darling e seus irmãos João e Miguel passando a levá-los todas as noites para se aventurarem na Terra do Nunca ao lado dos Garotos Perdidos contra o pirata Capitão Gancho e sua tripulação de piratas.

2 comentários:

  1. Praticamente um histórico completo do Peter. Gostei muito dos detalhes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! E espero que divirta-se lendo as aventuras do Peter! Abs!

      Excluir